Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2010

(E) Como transformar a informação e a tecnologia da informação em fatores de crescimento e de alto desempenho nas organizações

De vez em quando sou questionado por profissionais e alunos: como transformar a informação e a tecnologia da informação em fatores de crescimento e de alto desempenho nas organizações?

E sempre me encontro em uma situação delicada para responder a este questionamento, porque é um assunto complexo, não dá para ser resumido em uma única linha. A sua complexidade é devido ao fato que atualmente a tecnologia aplicada com sucesso, pode ser vista por muitos como inovação. Mas nem sempre a tecnologia é garantia de sucesso para muitas organizações. É preciso ir além, é preciso integrar processos, pessoas, e principalmente entregar informação na hora certa.

A informação já é considerada o principal insumo e, em muitos casos, o principal produto das organizações. Quando bem gerenciada, ela se transforma em recurso estratégico: é fator de crescimento de lucros, de redução de custos operacionais, de otimização do processo decisório, de solução de problemas e de eliminação de barreiras de comunicaçã…

BI e o software de código aberto

O impacto da crise financeira tem obrigado muitas empresas a cortar custos, ao mesmo tempo que a concorrência aumenta. É neste contexto, que o analista do Gartner Group recentemente informou que o interesse em alternativas open source para soluções de business intelligence (bi), em relação às ferramentas comerciais, tem sido crescente.

Em um relatório divulgado há algumas semanas, "Open-Source Business Intelligence Tools Production Deployments Will Grow Five-Fold through 2012", o analista afirmou que, embora nas alternativas de código aberto, ainda faltam algumas funcionalidades importantes que podem ser encontradas nas aplicações comerciais, o interesse no menor custo é crescente, ferramentas de código aberto a partir de empresas como JasperSoft, Pentaho.

Segundo o Gartner, o custo médio de um projeto de BI usando solução open-source é de cerca de US$ 30.000,00 (R$ 60.000,00) por ano aproximadamente, mas alguns acabam ultrapassando os US$ 500.000, valores este que acabam s…

(T) Indexação no Data Warehouse - Parte 2

Consideração sobre o predicado
Digamos que um data mart processasse continuamente consultas usando as colunas PURCHASE_DATE e CUST_NUM como parte do predicado. Essas duas colunas devem ser consideradas para índices. As colunas apresentadas como parte dos resultados da consulta, mas não utilizadas como parte de um predicado, não são boas candidatas para índice. Em outras palavras, a coluna em itálico na listagem a seguir pode não ser conveniente para um índice, enquanto a que parece em negrito pode ser uma candidata ideal:
select sum(aggr_day), region, ... from day_summary, region where trans_date between '01-jan-2002' and '31-jan-2002' ...;
Isso nos leva à segunda diretriz de indexação importante.
DICA: As colunas que normalmente fazem parte de critérios de seleção de consulta são candidatas para índices.
Naturalmente, como essa é uma regra (na verdade, uma diretriz), existem exceções. As colunas continuamente mencionadas em um predicado, mas nas quais uma função ou operaçã…

(T) Indexação no Data Warehouse - Parte 1

Um índice é, na maior parte dos casos, uma estrutura separada dos dados da tabela a que ele se refere. Ele armazena a localização de linhas no banco de dados, baseado nos valores de coluna especificados quando o índice é criado. Os índices são como minicópias dos dados da tabela a que se referem. Vamos supor que uma consulta fosse restrita a LAST_NAME e procurasse nomes que começassem com o texto "SM". Sem um índice em LAST_NAME, o banco de dados leria da primeira linha até a última, procurando as linhas com o string de pesquisa desejado. Com um índice, o banco de dados percorreria, obteria um endereço da linha qualificada e, em seguida, apresentaria os dados da linha qualificada, para o processo que fez a consulta. Em resumo, é para isso que servem os índices.
As pequisas de índice são o segredo da otimização do tempo de resposta da maior parte das consultas e são usados sistematicamente em um data warehouse para melhorar seu desempenho de saída.
Um desempenho de saída melh…

(T) Oracle Essbase Studio 11 – Parte 1

O Essbase Studio 11 é a novidade da Oracle. Esta versão fornece aos usuários uma interface gráfica para desenvolver, implantar e manter cubos Essbase (OLAP) com base em uma ou mais fontes de dados. Antes do Oracle Essbase Studio 11 ser lançado, para se conseguir isso, era necessário uma combinação das seguintes ferramentas: Essbase Integration Services (EIS) e do Essbase Administration Services (EAS). Agora só o Essbase Studio basta para se construir um modelo multidimensional a partir de fontes de dados que variam a partir de tabelas de banco de dados relacional, exibições e arquivos simples para OBIEE e dimensões EPMA. Além disso, o Essbase Studio faz uso de várias interfaces 'wizard-driven', buscando tornar as operações mais fáceis para os usuários finais, desta forma a Oracle busca aumentar a adoção da ferramenta.
Os profissionais envolvidos com o desenvolvimento de soluções Business Intelligence e EPM deverão prestar especial atenção ao aparecimento do Essbase Studio, como…

(O) Populando um BW Data Warehouse

Existem algumas diferenças entre usar o PowerCenter para carregar dados para dentro do BW versus usar o PowerCenter para carregar dados para dentro de um DW construído sobre um SGBD. Estas diferenças incluem:
Formas de comunicação-> BW deve requisitar dados de um sistema fonte antes do sistema fonte poder enviar dados para o BW. Para o BW obter os dados do PowerCenter, o PowerCenter deve primeiro ser registrado com o BW usando o protocolo SAP RFC (Remote Function Call). Além disso, o PowerCenter usa o SAP BW Service para se registrar com o BW. Na verdade você configura o SAP BW Service no PowerCenter Administration Console.
A interface nativa para carga de dados para o BW é BAPIs-> esta é uma aplicação API publicada e suportada pelo SAP.
O Integration Service usa o BAPIs para realizar verificação de metadados e carga de dados para dentro do BW.
Os programas de comunicação com o BW usa o arquivo padrão do SAP saprfc.ini para se comunicar com o BW-> este arquivo é similar ao …

(O) Métodos de integração entre o PowerCenter e o SAP BW

Hoje vou falar sobre a integração de dados entre o PowerCenter uma poderosa ferramenta de integração de dados da Informatica e o SAP BW, ferramenta OLAP para a construção de cubos da SAP a partir de dados do SAP/R3. Esta integração de dados pode se dá em dois momentos:
♦ Extração de dados a partir do BW.
♦ Importação de dados para dentro do BW. A integração com o BW se dá através de InfoCubos e InfoSources. Um InfoCubo é um cubo virtual criado a partir de um ou mais InfoSources. Um InfoSource é uma coleção de dados que pode pertencer a um ou mais cubos.
1- Extração de dados BW É possível extrair dados do BW e usá-lo como um source em uma session no PowerCenter através do BW Open Hub Service (OHS). Open Hub Service é um framework SAP para extração de dados. OHS usa dados de múltiplos data sources BW, incluindo InfoSources e InfoCubos. O OHS framework inclui também programas InfoSpoke, que extrai dados do BW e escreve a sua saída para tabelas (transparentes) do SAP.

A comunicação do 'Po…

(E) O que entra no Data Warehouse?

Muitos projetistas de data warehouse iniciantes veem o warehouse como o repositório final de todos os dados da empresa. Eles farão declarações ingênuas, como "Toda a produção de relatórios da empresa será feita a partir do warehouse". Geralmente, essa não é uma estratégia viável. Conforme já mencionei, o warehouse é apenas um componente de uma estratégia de produção de relatórios empresarial, eu diria até um importante componente.
Outro motivo pelo qual é importante "posicionar" o warehouse na arquitetura de produção de relatórios corporativa é para proteger o projeto de uma construção grande demais. No desenvolvimento de sistemas, aumentos no tamanho aumentam o risco. Cada nova tabela, cada nova coluna, cada nova restrição, aumenta o volume de trabalho de desenvolvimento que deve ser estimado, agregado e executado. Eles também aumentam a possibilidade de que um objeto na arquitetura venha a falhar. Assim, posicionar o warehouse efetivamente é uma ferramenta para o …

(E) Comece com os requisitos da empresa - não com a tecnologia

O que o deixou interessado em construir sistemas? Para muitos de nós,foi a paixão pela tecnologia. Gostamos de escrever sistemas elegantes, que apresentam belas figuras na tela de algum usuário injustiçado. Nossa resposta para praticamente todo problema é "construir um novo sistema".

Bem, infelizmente, o data warehouse não tem a ver com tecnologia. Ele tem a ver com resolução de problemas empresariais. Um segredo para o sucesso do data warehouse é começar focalizando as informações de que a empresa precisa para prosperar e não a tecnologia que vamos usar para entregar essas informações.

As tecnologias de consulta e navegação de dados são "bacanas" e os desenvolvedores tendem a querer mexer com elas. Na verdade, já vi projeto, onde a equipe passou os primeiros seis meses escolhendo a ferramenta de consulta e navegação de dados e depois aprendendo a utilizá-la. As estruturas de dados ficaram relegadas a segundo plano. Os gerentes e os usuários finais não são pessoas es…

(E) Como dar poderes aos usuários

Quantas vezes você já ouviu ou leu em revistas e sites especializadas de negócios, que a empresa tal estava sendo reestruturada? As empresas fazem isso principalmente em época de crise. Ao se aprofundar nos detalhes da reestruturação, é possível descobrir, em algum lugar, que a diretoria da nova organização depois da reestruturação dará poderes aos seus funcionários (remanescentes). O que se quer dizer com isso “dar poderes”? Será que o que eles querem dizer é que, agora, os vários funcionários poderão tomar muitas das decisões que antes só a alta gerência participava. Contudo, vamos pensar no seguinte: o quanto os funcionários serão eficientes em tomar decisões, se eles não possuírem dados e informações necessários para tomar tais decisões?
Implementar um depósito de dados integrados (data warehouse) é uma maneira efeciente de entregar esses dados. Isso não apenas libera quem necessita do dado de recorrer à diretoria em cada decisão, mas, também o libera da necessidade de recorrer a á…

(T) Verificando a consistência de um repositório

Atualmente é possível verificar a consistência das seguintes maneiras:Pode-se verificar a consistência global do repositório a partir do menu ‘Arquivo’ e do ‘Consistency Check Manager (Check All Objects)’. Se você desativou quaisquer regras de verificação do ‘Consistency Check Manager’, essas regras não serão verificadas. NOTA: Se você desativar um objeto e ele está inconsistente, você receberá uma mensagem perguntando se você quer torná-lo disponível para consultas.Pode-se verificar a consistência de um modelo de negócios a partir do menu do botão direito de um modelo de negócio. Pode-se verificar a consistência de alguns ou todos os objetos no repositório a partir da verificação do ‘Consistency Check Manager’. Para limitar os objetos que são controlados, na verificação do ‘Consistency Check Manager’, na guia ‘Opções’, você pode desativar as regras para os objetos que deseja excluir.
Para verificar a consistência de um repositório:

(T) Configurando o “Consistency Check Manager” no Oracle BI

Durante a instalação, um subconjunto de regras padrão está instalado. Em cada estação de trabalho, os usuários podem usar o subconjunto padrão das regras ou alterar o subconjunto, adicionando ou excluindo regras. Por padrão, todas as regras de verificação de consistência são ativadas e todos os tipos de mensagens são definidos para mostrar depois que você executar uma verificação de consistência. Você pode desativar qualquer das regras de verificação de consistência e alterar as mensagens da lista, para que um ou mais dos seguintes tipos de mensagens não aparecem.

Entretanto, pelo menos um tipo de mensagem deve ser ativado.

Para configurar o “Consistency Check Manager” :

1. Em ‘Administration Tool’, selecione ‘Tools’ > ‘Show Consistency Checker’.
2. Em ‘Consistency Check Manager’, na tab ‘Messages’, faça o seguinte:
3. Desmarque o check box para quaisquer tipos de mensagens que você não deseja exibir.
4. Se você deseja que a mensagem mostre o nome completo de cada objeto, selecione o che…